Artigo 37

O juízo final

Por fim, cremos, conforme a Palavra de Deus, que ao chegar1 o tempo ordenado pelo Senhor — mas desconhecido por todas as criaturas — e se completar o número dos eleitos,2 o nosso Senhor Jesus Cristo voltará do céu de maneira visível e corporal assim como Ele ascendeu (At 1.11), com grande glória e majestade.4 Ele instalará a si mesmo como o juiz dos vivos e dos mortos5 e porá este antigo mundo em chamas para o purificar.6 E então, todas as pessoas — homens, mulheres e crianças — que existiram no mundo, desde o seu princípio até o seu final, aparecerão pessoalmente diante deste Grande Juiz,7 intimados pela voz do arcanjo e pela trombeta de Deus (1Ts 4.16). Todos os que morreram antes deste dia ressurgirão da terra,8 quando os seus espíritos se reunirem aos corpos com que vi- viam. Os que estiverem vivos não morrerão como os outros, mas serão transformados de corrupção em incorrupção num piscar de olhos.9 Então, se abrirão os livros e os mortos serão julgados (Ap 20.12) segundo o que fizeram, de bom ou de mal, neste mundo (2Co 5.10).10 Na verdade, todos neste dia prestarão contas de toda palavra frívola que proferiram (Mt 12.36), as quais o mundo considera apenas como zombaria e diversão. E os segredos e as hipocrisias dos homens serão revelados publicamente diante dos olhos de todos. Por isso, pensar neste juízo é coisa terrível e apavorante para os ímpios e malfeitores,11 mas é grande gozo e conforto para o justo e eleito. Para eles completar-se-á a plena redenção e receberão os frutos de seus labores e das angústias que sofreram.12 A todos será manifesta a sua inocência e contemplarão a terrível vingança que Deus trará sobre os ímpios que os perseguiram, oprimiram e atormentaram neste mundo.13 Os ímpios serão condenados pelo testemunho das suas próprias consciências e tornar-se-ão imortais tão-somente para serem atormentados no “fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos” (Mt 25.41),15 mas os fiéis e eleitos serão coroa- dos de glória e de honra. O Filho de Deus confessará os seus nomes diante de Deus Seu Pai (Mt 10.32) e dos anjos eleitos (Mt 10.32).16 Deus “lhes enxugará dos olhos toda lágrima” (Ap 21.4),17 e a causa deles — no presente, condenada como herética e maligna por tantos juízes e autoridades civis — será reconhecida como a causa do Filho de Deus. O Senhor, por graciosa recompensa, lhes fará possuir uma tal glória, que é impossível de ser concebida pelo coração do homem.18 Por isso ansiamos com grande expectativa por aquele grande dia para gozarmos da plenitude das promessas de Deus em Jesus Cristo nosso Senhor. Amém! Vem, Senhor Jesus! (Ap 22.10). Mt 24.36; Mt 25.13; 1Ts 5.1, 2. 2. Hb 11. 39, 40; Ap 6.11. 3. Ap 1.7. 4. Mt 24.30; Mt 25.31. 5. Mt 25.31-46; 2Tm 4.1; 1Pe 4.5. 6. 2Pe 3.10-13. 7. Dt 7.9-11; Ap 20.12, 13. 45